"A atual situação orçamentária é o maior desafio", diz o futuro ministro das Finanças

Bruno Funchal: Para o futuro secretário, também é necessário melhorar a qualidade dos programas sociais e não apenas aumentar o valor (Edu Andrade/Ascom/Ascom/Divulgação)

O futuro ministro da Fazenda, Bruno Funchal, declarou nesta sexta-feira que seu maior desafio antes do cargo será a atual situação orçamentária e que ele vai voltar ao caminho após gastos extraordinários com a crise, a partir das reformas do orçamento fiscal devem. Consolidação. O atual ministro das Finanças, Mansueto Almeida, deixará o governo Bolsonaro em 31 de julho.

Ao participar do Livestream do Itaú BBA, ele avaliou um debate mais profundo sobre tudo relacionado aos gastos.

Nesse sentido, também foi punido pela necessidade de melhorar a qualidade dos programas sociais e não apenas aumentar o valor adicionado.

Veja também
  • ECONOMIASalim Mattar diz que covid-19 atrasou a privatização, mas o foco está no mesmoquery_builder 01/07, 2020-17h07

Nesta semana, o banco central informou que a dívida pública brasileira alcançou 5,9 trilhões de reais em maio com os extras causados pela pandemia. Esse número equivale a 81,9% do PIB, o maior resultado da série histórica do Banco Central, que foi lançada em dezembro de 2006.

O aumento do endividamento resulta do crescimento dos gastos do governo com medidas de combate à crise causada pelo Covid-19. Sem recursos, o governo coloca títulos da dívida no mercado. Dessa forma, ele coleta recursos para financiar ações como investimento em hospitais ou o pagamento de ajuda emergencial.