Com R$ 7,5 milhões, programa de construção de capacidade feminina ajuda 50 empresas

Ana Fontes, Presidente da Rede Mulher Empreendedora: Ação busca ajudar as mulheres em três frentes: Empreendedorismo, empregabilidade e tecnologia (Mulheres Empresadoras / Facebook / Reprodução Rede)

A pandemia de coronavirus desencadeou uma crise para pequenas empresas, especialmente aquelas lideradas por mulheres. Google.org, lançou o projeto Female Power. Com a capacitação e os investimentos financeiros, a ação tem como objetivo auxiliar as mulheres em três frentes: empreendedorismo, empregabilidade e tecnologia. 

Como um todo, 7,5 milhões de reais serão investidos no programa, o que afetará diretamente 50.000 mulheres nos próximos dois anos. O Edital está aberto até o dia 19 de julho para as inscrições de empresários e organizações sociais de comunidades que queiram participar. 

Ana Fontes, presidente da RME, observa que o impacto da crise nas mulheres é mais forte. " Além da perda de faturamento, ficam em interiorias, com as crianças sem escola e com um centro de creche. A dificuldade é maior do que para um homem com um pequeno negócio. Ele consegue dedicar mais tempo para a empresa que eles " diz fontes.

A pesquisa do Instituto RME e do Lokomotivinstitut mostra que 60% dos empresários esperam que eles tenham, no máximo, um salário mínimo como renda durante a pandemia. Em maio, 86% dos negócios liderados por mulheres não funcionaram ou trabalharam com um movimento mais baixo.

"Acreditamos que através da tecnologia podemos ajudar quem será punido mais para enfrentar os desafios de hoje e ao mesmo tempo dar condições para a retomada das atividades em um futuro próximo", diz Valdir Leme, diretor de marketing do Google.

Veja também
  • PMEWorks com turismo? Programa dá R$ 100 de projetos de inovaçãoquery_builder 02/07, 2020-17h07

Como funciona

No site da Women's Power, o conteúdo estará disponível para quem quiser acessar o acesso. Há materiais sobre tecnologia e empregabilidade, pensados para liderar aqueles que procuram recolhimento profissional, e sobre empreendedorismo para ajudar quem já emprega ou assumir.

A partir desses inscritos na versão gratuita, o programa irá aconselhá 10 municípios. Um total de 6.300 empreendedores brasileiros serão acompanhados no decorrer dos próximos dois anos. Eles receberão orientações sobre como eles podem se organizar e usar seus negócios sozinhos.

Desse total, 1.000 são selecionados para um processo de mentoria individual, no qual sua empresa é acompanhada de perto por tutores locais das comunidades. Ao final do processo, 180 empreendedores receberão um capital semente de 10.000 reais para serem investidos na empresa.

" Ações como essas geram um impacto positivo não só para a pessoa, mas também para a comunidade no meio ambiente. É um círculo virtuoso, " diz Ana Fontes.