Franquia sem jornada de casa crescendo em quarentena

Leonardo José Lima, franqueado da Casa Anjos: pandemia de coronavírus obrigou empreendedores a liderar o negócio para fora do apartamento (Ricardo Matsukawa / Ricardo Yoithi Matsukawa-ME/SP Jornal de Negócios)

O trabalho em casa é um monte de sonho das pessoas, especialmente para quem está em grandes metrópoles e tem que ver horas no trânsito ou no transporte público. Na capital paulista, por exemplo, uma pessoa em média gasta cerca de 1h47 em deslocamento entre casa e trabalho, de acordo com a pesquisa realizada em 2019 pela Rede Nossa São Paulo em parceria com o Ibope.

Todo esse tempo poderia ser usado para outras atividades, como mais com a família, praticando atividades físicas ou concentrando esforços nos resultados do próprio negócio. Com a pandemia provocada pelo novo coronavírus e a necessidade de distanciamento social, a ideia de trabalhar em casa ganha força e encontra nas microfranquias uma forma de ganhar receita em um tempo de crise e alto desemprego-e sem investir muito capital, finalmente é possível encontrar opções diferentes no mercado com investimentos de menos de 5 reais.

Dados da pesquisa "Microfranquia", que 2019 pela Associação Brasileira de Franchising (ABF), mostra que o número de marcas que atuam com modelos mais econômicos cresceram 14% em percentual, as últimas quatro anos, de 557 em 2016 para 674 em 2019. Os destaques vão para o serviço e os segmentos de saúde, beleza e wellness. Entre 2018 e 2019, a antiga cresceu 34%, enquanto a segunda subiu 21%.

Veja também
  • Mercado Livre abre inscrições para o programa “Empreender com Impacto”PMEMercado Livre abre inscrições para o programa "Empreender com Impacto"query_builder 03/07 2020-10h07

Proprietário de uma Franquia de Anjos Lar, especializada em cuidadores mais velhos, o entrepre Leonardo José Lima, conta que sempre operou a maior parte do negócio da casa, em Mooca, Leste de São Paulo. Alude um espaço de coworking apenas para processos seletivos de novos mantenedores ou para o caso se um cliente quiser conhecer a empresa. Durante a atual crise do novo Coronavirus, viu sua tela cair dos clientes, principalmente entre os meses de março e abril, mas fechou maio com seu recorde de clientes ativos desde 2018, ano em que começou as atividades.

"Tivemos quedas pontuais normais devido a altas estadias hospitalares e falências, assim como os contratos suspensos por causa da pandemia, já que os familiares foram se aproximar mais dos mais velhos em casa", explicou.

A retomada no mês de maio, segundo Lima, tem tanto por reativando contratos como para a gestão de marketing digital, que teve o apoio de o Sebrae. " Ações com o Google e o posicionamento da minha franquia no Instagram e no Facebook ajudam muito. O Google traz clientes diretos, e nas redes sociais, receito muitas remessas de clientes por amigos, " Isso celebra. Hoje, com 14 contratos ativos, Lima mira 20 contratos até dezembro. Uma Franquia Home Angels começa a partir de 25 reais.

Veja também
  • Com R$ 7,5 milhões, programa de capacitação feminina ajuda 50 mil negóciosPMECom R$ 7,5 milhões, o programa de construção de capacitação de mulheres ajuda 50 negóciosquery_builders 03/07/2020- 06h07

funcionários no Pandemic

Já no município de Registro, no Vale do Ribeira, o jornalista Adilson Cabral deixou de lado a rotina como sócio de comunicação há mais de 20 anos, a fim de se empenar no setor de comunicação. Desde 2018, é dona de uma franquia da City Portal, uma plataforma digital que fornece tecnologia para conteúdo publicitário jornalístico e regional.

Cabral diz que sempre identificou um desarme de veículos de mídia digital no Vale do Ribeira, que trouxe uma proposta jornalística completa. "O portal da Secretaria Municipal tem condições de reconhecer o que você tem em termos de vida na cidade e seus problemas, mas também tudo o que tem inovações em termos de identificação de talentos, ações e projetos de desenvolvimento regional", explica.

O jornalista lançou a franquia sozinho, mas há quatro meses contratou um funcionário que o apoia na identificação e na produção de tópicos. Pela manhã, Cabral trabalha na produção, mas, à tarde, o patrimônio industrial é dedicado. "Temos muita demanda de anunciantes durante a pandemia, especialmente de empresas que não possuem lojas físicas, ou estão fechadas, e dependem da entrega para manter a contabilidade", explica.

Veja também
  • PMEWorks com turismo? Programa dá R$ 100 de projetos de inovaçãoquery_builder 02/07, 2020-17h07

E ao falar em delivery, esta modalidade na pandemia na verdade ganhou ainda mais impulso. O aplicativo de franquias "Rapity App", plataforma de entrega de aplicativos para pequenas e médias cidades, surgiu neste mercado com um investimento inicial de cerca de 16 reais.

"Quando decidimos, em junho de 2019, para o desenvolvimento do aplicativo, percebemos que esse tipo de atendimento era um ato conjunto para as pequenas cidades", explica o presidente da rede, Leone Schultz. "Durante a pandemia, nosso serviço é a solução para que muitos comerciantes vendam seus produtos", concluiu.

Desde o início das medidas mais restritivas no país, a marca registrou um aumento de 70% nas vendas diretas. O modelo de home office e a rede 100% digital também chamaram a atenção das pessoas que viram a oportunidade de ainda se comprometer com a quarentena. De março a maio de 2020, já comercializaram mais de 60 franquias. Atualmente, a empresa passa a contar com mais de 100 unidades vendidas, 20 unidades no estado de São Paulo. São mais de mil empresas parceiras e cerca de 45 usuários ativos, em 18 estados brasileiros. A expectativa da empresa é encerrar o ano com um acerto de 6 milhões de reais.

" A tendência é que a compra se perpetue por meio de aplicativos de entrega. Muitas empresas que antes não utilizavam aplicativos para o recebimento de aplicativos, usando meios convencionais como telefone e WhatsApp, acabaram abrindo os olhos para essa tecnologia, o que propicia o desempoeiramento de pedidos, facilidade na gestão simultânea e manutenção de diferentes clientes e pedidos ", disse o Chief Operating Officer e cofundador do Rapidad App, Wilton Hermes.

Veja também
  • PMEQuintoAndar oferece assessoria de gestão gratuita para pequenas empresasquery_builder> 02/07, 2020-21h07

modelo híbrido

E por que não transformar um sistema de franquias de presença tradicional e 100% em um híbrido com home office? Essa foi a ideia de Andréia Martins, diretora da CCAA Sorocaba. Assim como praticamente todas as instituições de ensino, a rede de idiomas também adaptou suas aulas para o modelo a distância através da internet, mas gerenciar a franquia como um todo, que exigia antes de Andréia diariamente presença na escola, é remota e bem-sucedida.

" Hoje eu não saio mais de casa. A partir do próprio computador, para ligar o sistema escolar e fazer com que toda a gestão seja feita, desde funcionários, planos de hora, alunos até a administração como um todo, com pagamentos, compras e contratos, " a empresária diz.

Andréia explica ainda que a nova metodologia de trabalho produz bons resultados na legenda de novos alunos a partir dos testes de nivelamento dos stakeholders. Antes de muitos não deram a sequência Didn-t, se o aplicativo era tendencioso, mas agora, online e com cursos mais acessíveis, que a realidade mudou.

" Nosso retorno de estudantes em potencial cresceu 65%. Muitos não reagiram em nada à equipe comercial. Durante a pandemia, estamos tendo que esperar com tanta demanda que a gente até espera. Nós íamos atrás dos estudantes, mas hoje eles são os que estão nos procurando " .

Outro tópico que favorece um futuro sistema híbrido é o reconhecimento dos pais que anteriormente não tiveram oportunidade de acompanhar o desenvolvimento das crianças em sala de aula. "Hoje eles nos dão um feedback positivo à medida que acompanham a metodologia, o aprendizado das crianças e o investimento de confiança que eles fazem", explica.

Veja também
  • BTG Pactual disponibiliza linha de crédito para micro e pequenos negóciosPMEBTG Pactual disponibiliza Linha de crédito para micro e pequena empresa Pequenaquery_builder 02/07, 2020-12h07

Você está preparado?

Investir em uma franquia, mesmo em formato de home office, não significa que o entrepre funcionará menos. Este é o aviso do consultor de negócios do Sebrae-SP Ruy Soares de Barros. Engajamento e organização são fundamentais, por isso é necessário procurar um negócio ou segmento com o qual tenha afinidade, por grande parte de seu tempo será usado na empresa.

"Faça uma lista com as franquias de home office que tenham interesse, receba informações, fale com franqueados que já estão em operação, fale com a franquia e tire as dúvidas mais sobre o negócio", aconselha.

De acordo com Barros, o Use ainda para parar de pensar em algumas questões importantes, como: quais motivos para ter um Franquia do Home Office? Isso é apenas acionado pelo tempo livre desencadeado pela pandemia ou na verdade há a possibilidade de um bom negócio?

" Vale lembrar que a franquia tem regras e é baseada em um contrato com o tempo de estadia. O futuro franqueado deve ler cuidadosamente a Circular de Oferta de Franquia (COF), que deve ser disponibilizado para o interessado 10 dias antes do término da transação. Ele lista as 'regras do jogo' que definem o papel de cada um, " Ele explica.

O consultor ainda está avisando que o interessado não será invisto por toda a sua capital ao comprar a franquia. " Não se trata de um investimento pontual. O entreprentista precisa de dinheiro para o capital de giro e, dependendo do momento e do segmento, pode haver sazonalidade do negócio. Por isso, é recomendável que você faça uma reserva para emergências, " concluído.