São Paulo tem 37 denúncias de lesão na quarentena

O consumidor tem a temperatura corporal que o funcionário de negócios abriu antes de acessar o local na Avenida Domingos de Moraes São Paulo na manhã desta quarta-feira, 10 de junho de 2020. A prefeitura da capital paulista aprovou o funcionamento do comércio rodoviário, que deve ser inaugurado novamente hoje. As lojas devem permanecer abertas entre 11h e 15h. 10.06.2020 (PATRICIA BORGES/Estadão Conteúdo)

A cidade de São Paulo recebeu, até esta quarta-feira, 1º, 37.712 denúncias de espaços que descumpriam os decretos de encerramento de editais e serviços não essenciais durante a pandemia do novo coronavirus. Um total de 636 explorações de isenções fiscais da Prefeitura de São Paulo, que está em fase de flexibilização da quarentena, foram ligadas.

As denúncias incluem atividades que geralmente promovem a aglomeração, como o funcionamento de boates (119) e casas noturnas (64), além das paradas (52), que incluem um total de 235 reclamações. De acordo com a prefeitura, os sites que não cumprem os regulamentos são o porto imediato de atendimento e, e#8220; em caso de resistência, "a cassação da meta operacional ou do termo permissão (TPU).

" repetimos que o objetivo não é muito mull, mas, sim, para evitar aglomerações, reduzir o risco de transmissão de coronavírus, a fim de proteger a população, de acordo com as diretrizes do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS) ", destacou a Gerência Bruno Covas (PSDB) em um comunicado.

A Categoria com o maior número de interdições era a de bares, cafeterias, restaurantes e lanchonetes, com 237. Outros, que também possuiam um grande número de envolvimentos, foram: cabeleireiro / stética/barbearia (74), comércio de vestuário (48), comércio de móveis e colchões (35), lava-rápido (17) e comercializador de tecidos (16).

Das 32 subprefeituras da cidade, as que tiveram mais interdições são: Sé (159), na região central; Freguesia / Brasilândia (79), na zona norte; Mooca (47), na zona leste; e Ademar City (45), na zona sul. Já o menor número de registros estão em: Jabaquara (sem denaziação), na zona sul; Pinheiros (1), na zona oeste; Parelheiros (1), no extremo sul; e Cidade Tiradentes (1), na zona leste.

Sobre as denúncias, a prefeitura informou que 2 oficiais do cadastro municipal de subprefeituras participaram de auditorias desde o início do decreto de quarentena, em 24 de março.

Acadêmicos, teatros e cinemas poderão voltar ao fim de julho open

A cidade de São Paulo está em processo de relaxamento da Quarentena, na Fase 3 (amarelo) do plano de São Paulo, que foi criado pelo governo do Estado. Esse movimento permite, entre outras coisas, a reabertura de bares, restaurantes, salões de beleza e barbearias que devem ser liberados da prefeitura para esta segunda-feira.

Na sexta-feira, o governador João Doria (PSDB) anunciou que a fase amarela também permitirá a reabertura de academias, cinemas e teatros a partir de 27 de julho. Todos os quartos que retornarão às atividades presentes devem cumprir com a higiene e o distanciamento social.