SP deve pré-levar a reabertura de academias, cinemas e teatros

Pessageira de máscara no metrô de São Paulo: estado está em processo de flexibilização do isolamento social (Gustavo Basso / Getty Images)

O governo de São Paulo divulgou nesta sexta-feira, 3, regras de reabertura de academias, cinemas e teatros ainda neste mês, em regiões a serem realizadas na fase "amarela" do Plano de São Paulo, programa de reabertura econômica de São Paulo em meio à pandemia. A previsão é que esses setores possam iniciar o serviço público a partir de 27 de julho, quando as tendências de redução dos índices de novos casos, internações e óbitos se manterão por meio do covid-19.

O Anuncio é sobre uma antecipação. Essas atividades só foram contempladas se a partir da apresentação do plano à fase "verde", se a epidemia fosse menos severa.

As únicas três regiões do estado que poderão publicar as atividades ainda este mês devem manter as tendências, são a capital, a região do ABC e o sudoeste da região metropolitana, em cidades como Itapecerica da Serra e Embu-Guaçu.

"A capital agora permanece na fase amarela por sete dias consecutivos", disse o prefeito da capital, Bruno Covas (PSDB). No entanto, ele ressaltou que as novas permissões ainda estão sendo debatidas na cidade em casa. " A partir de hoje, estamos iniciando uma discussão interna com a vigilância sanitária da comunidade diante dessa decisão do governo. "

A cidade vai assinar neste sábado, 4, os logs com bares, restaurantes, salões de beleza, a reabertura a partir de segunda-feira, 6.

As academias devem limitar uma ocupação 30% da capacidade do público, um tempo de trabalho de seis horas por dia, com acesso apenas por meio de agendamento prévio e suspensão de atividades no grupo e o uso dos vestiários.

Já os cinemas, teatros e eventos só podem ocorrer se estiverem com toda a reunião pública, ocupa 40% da capacidade do espaço, com o pessoas a distância de um metro e meio entre eles, venda de ingressos, feita exclusivamente através da internet, suspensão da bebida de alimentos e controle de acesso. A pipoca no cinema está sendo vetada.

Tanto em academias quanto nos eventos restantes, usar máscaras continua sendo obrigatório.

Em eventos com plateia permanente, que inclui museus, exposições e outros eventos culturais, só há na fase verde do programa. Isso ocorrerá em meados de outubro nas projeções do governo. Eles terão que cumprir o limite de 60% da capacidade, fazer marcações para a separação de pessoas e também realizar a venda antecipada.

Veja também
  • Comércio de SP na fase laranja poderá funcionar por 6 horas em 4 diasBRASILComércio de SP na Fase de cor laranja poderia funcionar para 6 horas em 4 diasquery_builder 02/07, 2020-16h07

A previsão para a retomada no final do mês é o resultado de uma regra determinada pelo Centro de Contingência Coronavirus. Esses setores só podem ser retomados na fase amarela do plano de São Paulo em regiões que estiveram nesta fase de abertura por pelo menos quatro semanas. " Não é saúde imediata a partir de segunda-feira. Tem essa previsibilidade das quatro semanas, " disse a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen.

O secretário executivo do Centro de Contingência, João Gabbardo, apontou que pessoas com idosos e com doenças crônicas, que são infectadas pelo coronavírus em um risco aumentado de morte, devem ficar em casa ". Todas as atividades que agora estão relaxadas, não mudam a recomendação do centro de emergência para que essas pessoas fiquem em casa e que elas sejam apenas de necessidade e#8221;, disse ele.

Gabbardo ainda ressaltou que, no caso das academias, a divulgação traz como matéria de fundo a saúde, que é derivada da realização das atividades físicas. "O fator mais significativo que tem mais influência na saúde da população, na saúde do povo, na preservação e na prevenção de doenças, é a atividade física, mais do que uma alimentação saudável, o hábito de não fumar", afirma. Assim, a atividade física não deve ser avaliada como uma atividade de lazer, mas como a condição que tem impacto na saúde das pessoas. "

Com o aumento da demanda por leitos de internamento para pacientes com covid-19 na região de Campinas, no interior do estado, a região voltou à fase vermelha dentro do plano de São Paulo. Essa foi a única mudança no ranking das cidades nesta semana, de acordo com a secretária-geral Patrícia Ellen.