Header Ads Widget

Coritiba projeta valorização de cotas de TV em negociação com a Globo

 Líder da Série B, o Coritiba já projeta uma valorização importante nas cotas de televisão para a próxima temporada, caso confirme o acesso à elite.

Em entrevista ao UmDois Esportes, o presidente Juarez Moraes e Silva comentou sobre o tema, destacando alguns pontos que afetam diretamente as tratativas que o clube terá com a Rede Globo, dona dos direitos de transmissão do Brasileirão em televisão aberta.

Um deles é a aprovação da Lei do Mandante, que coloca mais "bala na agulha nas negociações", na visão do dirigente. "Você não pode jogar por R$ 6 milhões por ano, que é o que a Série B faz. Isso é um crime com todos os 20 clubes", citando a cota fixa por time da competição. "Para a Série A vamos negociar outro acordo em condições mais justas", reforça Juarez.

O principal trunfo coxa-branca é justamente não ter nenhum tipo de contrato – a não ser o da TV fechada, com a TNT Sports, da Warnermedia (antiga Turner), válido até 2024. Ou seja, o Coritiba acredita que nesse cenário seus direitos de transmissão (TV aberta e pay-per-view) valem mais do que em um passado recente. Desta forma, pode conseguir luvas de assinatura mais generosas, por exemplo.

Para a última temporada na Série A, no entanto, o Coxa negociou um acordo diferenciado, com valor fixo de R$ 22 milhões – sem direito à premiação, nem cota por jogo transmitido (cerca de R$ 1 milhão por partida). Valor que o clube espera melhorar – e muito. "Contrato livre, lei do mandante, é um cenário de valorização, com certeza", aponta o presidente, que também disse estar participando ativamente das conversas sobre a criação e uma liga de clubes.

"A liga vai ter que acontecer, você dobra o tamanho do bolo um dia depois que a liga estiver constituída", enfatiza.

Postar um comentário

0 Comentários